• COLETIVO ALFENIM EM FORTALEZA


    Sucesso em nova versão. Com novos atores, Alfenim arranca aplausos para ‘O Deus da Fortuna’ no CE. Por Astier Basílio


    Nos momentos em que lidava com os novos atores, após uma diáspora que minguou o seu elenco, o diretor Márcio Marciano, do Coletivo de Teatro Alfenim, se valeu de uma blague, invertendo um clichê antigo: “Se piorar, melhora”. As palavras, ditas em tom de brincadeira, foram pronunciadas na fase de montagem do mais recente espetáculo do grupo O Deus da Fortuna, cuja estreia aconteceu ano passado. Semana passada, o espetáculo se apresentou, após uma temporada em São Paulo, no Festival de Teatro de Fortaleza e causou sensação entre os curadores e críticos de teatro presentes ao evento.

    “Eu acho que é o trabalho mais maduro do Alfenim”, avaliou o crítico de teatro Kil Abreu, um dos mais importantes curadores de festival de teatro do país. “Tanto do ponto de vista da dramaturgia, quanto da encenação mesmo. Fiquei muito surpreso com uma narrativa extremamente bem cuidada; da qualidade quase literária da escrita, mas da qualidade dos argumentos, da carpintaria mesmo teatral, se é que a gente pode falar dessa maneira de uma peça dialética. Eu fiquei muito impressionado”.


    Kil Abreu avalia que nesta montagem também está muito bem afirmado que aqui se arredonde um projeto, “que é o projeto do grupo, como nunca antes, pelo fato de se ter uma posição diante da realidade, que aqui é muito menos subliminar do que nos outros espetáculos, de uma maneira muito franca, muito direta. Talvez o espetáculo em que a característica de um grupo político se assume francamente. Achei excelente. Trabalho de grande qualidade”.

    Diretora do Teatro Máquina, Fran Teixeira apreciou “os tratamentos que eles deram a questão da fábula, quando cria aqueles intermezzos com a teoria sobre determinado tema, depois a poesia com o gromelô”, pontuou. “Eu acho que são estes tratamentos diferentes da fábula que vão fazendo com que o espetáculo se torne mais claro, a ideia vai sendo digerida ao longo da encenação”.

    Encenador do grupo Oco e curador do Festival Latino Americano de Teatro de Salvador, o cubano Luis Alonso também elogiou a montagem paraibana. “O Alfenim nos mostra através de um discurso oblíquo, fora de um jeito panfletário, mas contundente, uma realidade física e existencial na qual estamos envolvidos na nossa contemporaneidade, onde os valores éticos e de sociabilidade foram sublocados em detrimento de um jeito bom de viver numa cultura monetária”.

    Alonso observa que “o curioso é que não retoma o velho ditado imperialista, desta vez está direcionado a uma China que nos amarra na sua cultura de consumo a qual sucumbe em práticas sociais através de políticas arcaicas e escuras. O espetáculo ao mesmo tempo que se revela forte, é sagaz, severo e doce, lento e provocante. Cheio de oposições as quais geram uma forte energia sendo um resultado artístico surpreendente revelando este coletivo paraibano”.

    Em relação ao Ceará, a diretora do teatro José de Alencar, Isabel Gurgel conta que convidará o coletivo para apresentar o repertório em Fortaleza. A companhia foi selecionada para o Festival de Teatro de Guaramiranga, que acontece na cidade do interior cearense, no mês que vem.

    Questionado sobre o fato de ter montado O Deus da Fortuna no momento em que o coletivo passou por mudanças, Márcio disse que é saudável e até necessário que um coletivo de artistas passe por momentos de crise e renovação. “Se você tem a compreensão de que a entrada e a saída de integrantes do coletivo é parte do processo de aperfeiçoamento das relações internas de produção, e que esse aperfeiçoamento se reflete no processo criativo, então, a crise deixa de ser algo aflitivo e passa a ser o índice de que estamos vivos e com saúde. Nessa perspectiva, a saída de algumas pessoas foi importante e reveladora de novas potencialidades, não apenas para o grupo, mas para cada um pessoalmente”.
    Correio da Paraíba, 17/08/2012
  • VII FESTIVAL DE TEATRO DE FORTALEZA

    Alfenim apresentará “O Deus da Fortuna” no VIII Festival de Teatro de Fortaleza.
    O espetáculo O Deus da Fortuna fará parte da oitava edição do Festival de Teatro de Fortaleza. O festival teve início neste sábado (dia 04/08) e conta com vinte e seis grupos de teatro, que ocupam e ocuparão diversas praças e teatros da cidade, afirmando o tema O Teatro em Movimento desta edição.
    O Coletivo Alfenim apresentará O Deus da Fortuna no dia 09 de agosto, às 19 horas, no Sesc Senac Iracema – Rua Boris, 90 C, Centro. Todas as apresentações do festival são gratuitas. A programação completa e mais informações sobre o festival estão disponibilizadas no site www.festivaldeteatrofortaleza.com.br
                 
%d blogueiros gostam disto: