“QUEBRA-QUILOS” por Luiz Antonio Dalri

Luiz Antonio Dalri

 
“Quebra-quilos s.m. 1 PB revoltoso contra a decretação de novos impostos e a implantação do sistema métrico decimal. 2 B N. chita estampada de vermelho e preto”. (HOUAISS). Agora sim entendi o texto, pois ignorava essa fase da história da Paraíba, onde vivo, ocorrida nos tempos idos do império brasileiro.
Mas, e a peça teatral que nos leva a esse conhecimento? É a trupe, creio eu, comandada por Zezita, que se refestela num palco improvisado, pequeno, sem muitas luzes de efeitos especiais, ora sentados em caixotes, ora bebendo cachaça, ora comendo bananas num silêncio sepulcral, agonizante, cômico.
Lugar? Teatro Ariano Suassuna, no Colégio Pio X. Usando as poltronas, que me pareceram muitas? Não, usando umas cinqüenta cadeiras comuns contornando o palco, bem próximas dos artistas.
E eles, os artistas, como se saíram, bem? A resposta está na opinião de meu neto, l5 anos, que nos acompanhou “Quando há silêncio, ninguém tosse, ninguém se mexe, é porque todos estão concentrados no que veem”. E ao nosso lado, orgulhosos, os avós do aferidor de pesos e medidas, aferiram o desempenho do neto, que me pareceram satisfeitíssimos.
É isto, meus leitores, ver de perto, a três ou cinco metros de distância, um grupo de pessoas que fazem esse tipo de trabalho, não por dinheiro, mas pelo amor à arte, é comovente. É diferente ver-se um filme ou novela, em que se sabe que houve “n” regravações para chegar a nossos olhos, perfeitas. No teatro, não. É o improviso que vale, que comove.
Pena que hoje o teatro perdeu público, roubado pela mídia televisiva, ou será falta de divulgação dos grupos teatrais? Entende-se, porém, que divulgar esse tipo de espetáculo torna-se oneroso e o preço cobrado não compensa o investimento.
Quando fui ao Rio, há dois anos, paguei 70,00 por cada encenação a que assisti. Aqui a inteira custa 10,00.
A quem interessar possa, este texto, vá assistir a Quebra-quilos. É rapidinho o desenrolar da trama, é um único ato, não há intervalo, não há embromação, não se vê o tempo passar. Num abrir e fechar de olhos termina e o espectador se vê no palco abraçando os artistas e conversando com eles, como gente que são, iguais a nós.
Meus parabéns a todos, porque foram excepcionais no que se propuseram apresentar.
Quebra-Quilos

Quebra-Quilos

Deixe uma resposta

Responda para enviar * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

                 
%d blogueiros gostam disto: