INTERCÂMBIOS DO ALFENIM EM JOÃO PESSOA

Desde os tempos da Lapada, o Coletivo Alfenim tem ensaiado uma aproximação com os grupos e fazedores de teatro de João Pessoa. Por uma série de fatores que passam pelo isolamento, pela falta de conhecimento, pelo preconceito e pela precariedade das condições de trabalho de cada grupo, essas tentativas têm sido pontuais e pouco efetivas, mas expressam o desejo de encontros futuros.

Uma das parcerias do Alfenim mais produtivas até o momento tem sido com o Grupo Piollin. Em 2010, os coletivos uniram esforços para trazer a João Pessoa o ator e encenador ítalo-argentino Norberto Presta. Nessa ocasião, além da apresentação do espetáculo Fragmentos de Vidas Divididas, foi realizada uma oficina com a participação de ambos os grupos.
Em 2009, o Coletivo Alfenim já havia realizado uma residência na sede do Piollin. Durante esse período, os atores do Coletivo ministraram oficinas aos jovens alunos do Centro Cultural. Mais recentemente, o dramaturgo Márcio Marciano, acompanhou alguns ensaios do espetáculo Retábulo (2011), exercendo uma espécie de consultoria dramatúrgica que visava a problematizar as opções da encenação, a cargo de Luiz Carlos Vasconcelos.
O Coletivo também contou com a colaboração do grupo Boca de Cena, na confecção e no aprendizado das técnicas de manipulação direta dos bonecos de seu espetáculo Milagre Brasileiro (2010). Durante o processo de estudos para a remontagem de Histórias de Sem Réis (2011/2012), uma experiência de rua ainda em processo, o Alfenim e o Quem Tem Boca É Pra Gritar tentaram encontrar espaço em suas agendas para a realização de uma semana de intercâmbio. Como não foi possível em 2012, este encontro deve ocorrer nos próximos meses deste ano. 
 
Neste mês de março de 2013, o Coletivo realizou em sua sede, a Casa Amarela, um intercâmbio com o Grupo Graxa. Foram três dias de encontros nos quais os procedimentos de criação da cena de ambos os grupos foram discutidos e aplicados em exercícios de aproximação de um material dramatúrgico bruto, produzido durante o Seminário de Dramaturgia Contemporânea, espécie de laboratório de criação dramatúrgica dirigido por Márcio Marciano em 2012.
A ideia do Seminário é possibilitar o surgimento de jovens dramaturgos, e apresentar suas produções aos grupos da cidade, de forma a estimular a criação de espetáculos a partir da dramaturgia desses novos autores. O encontro com o Graxa possibilitou a experimentação e, em alguns casos, a reescritura de algumas dessas cenas, que farão parte de uma “leitura encenada”, a ser apresentada pelos grupos no final de abril.
O Coletivo Alfenim entende que esse intercâmbio crítico fortalece e permite aprofundar os princípios estéticos e políticos que regem o trabalho de cada grupo em particular, e o fazer teatral da cidade como um todo.
Demonstra também sua eficácia enquanto meio de transmissão e reflexão crítica dos procedimentos técnicos desenvolvidos por cada grupo, além de revelar a dimensão coletiva do Teatro enquanto arte pública. Assim como, a necessidade de um Movimento de Grupos na cidade que agregue e potencialize o trabalho de cada coletivo.
Somente assim, através do conhecimento verdadeiro e franco que provém do trabalho coletivizado entre os grupos, será possível estabelecer uma agenda comum de luta junto ao Poder Público, em prol de uma política urgente e necessária para o Teatro em João Pessoa.  

Apenas um comentário deixado Veja o comentários

  1. Vitor Blam /

    muito bom esse encontro!

Deixe uma resposta

Responda para enviar * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

                 
%d blogueiros gostam disto: